Clique aqui

novembro 25, 2021

17 anos depois, relembre a maior tragédia da história do município de Apodi

Nenhum comentário | Deixe seu comentário.
Ambulâncias, Viaturas policiais e desespero. Esta era a realidade dos apodienses no dia 25 de novembro de 2004. Uma quinta-feira que marcou a história do município e deixou marcas que nem o tempo pode apagar.

Há exatos 17 anos atrás, acontecia a maior tragédia do Apodi. Uma imprudência no trânsito que levou à morte cinco estudantes e um professor, deixando ainda dezenas de feridos.

O fato se deu quando um ônibus turístico intermunicipal colidiu lateralmente com outro ônibus superlotado de estudantes na BR – 405, principal via que corta a cidade.

A colisão dos veículos provocou o arremesso do estudante Melquezedeque Medeiros, de apenas 13 anos, para fora do veículo, que não resistiu e veio a óbito na hora. Socorridos aos hospitais regionais de Apodi e Mossoró, os estudantes Odair José, de 22 anos, Francinária de Castro, de 16,Erlana Rodrigues e Anatália Cristina, ambas com 13 anos, também não resistiram e morreram pouco tempo depois.

Vários estudantes ficaram presos às ferragens e foram resgatadas pela polícia e por civis que não mediram esforços num só objetivo: salvar vidas. Apesar do empenho da população, cinco dias depois, morreu em um dos leitos do Hospital Regional Tarcísio Maia em Mossoró, o professor Antônio Dantas, que também utilizava o veículo coletivo para se deslocar até a Escola Estadual Zenilda Gama, onde trabalhava, concretizando assim, seis vítimas fatais.

ACIDENTE

O relatório da Polícia Rodoviária Federal apontou que o motorista do veículo estudantil, identificado como João Batista Sobrinho, foi o culpado pelo acidente. No contorno, onde ele deveria ter parado, preferiu avançar para o outro lado, sendo atingido brutalmente.

Em depoimento à polícia, o motorista alegou que ia devagar e que não viu o outro ônibus. O então delegado de Polícia Civil da cidade, Francisco Edivan, lavrou o flagrante contra João Batista, e o responsabilizou pelas mortes.

Após o acidente que marcou o dia 25 de novembro, a rodovia foi duplicada e ganhou, além de outras coisas, lombadas físicas que obrigam aos motoristas, a redução da velocidade. O dia também é lembrado pelos apodienses como um dia de luto em respeito a todos os envolvidos neste trágico acontecimento.

Fontes: Portal SOS Notícias do RN / Apodi debaixo do pano

Nenhum comentário:

Postar um comentário