Clique aqui

novembro 27, 2020

A cada 2 dias, pelo menos uma pessoa desaparece no RN

Nenhum comentário | Deixe seu comentário.
Os recentes casos de desaparecimentos levantaram alerta para uma triste estatística: em média, uma pessoa desaparece no Rio Grande do Norte a cada 2 dias. Os dados são da Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análise Criminal (Coine), órgão vinculado à Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), e correspondem ao período entre 1º de janeiro e 25 de novembro deste ano.  

O levantamento obtido pelo Agora RN mostra que 199 pessoas desaparecem em 2020 até o momento. Em comparação com 2019, houve uma redução de 38,20% dos casos, já que foram registrados 322 desaparecimentos no mesmo período do ano passado. A média, de acordo com o estudo, era de uma pessoa desaparecida por dia. É preciso considerar, no entanto, que alguns casos são de pessoas que sumiram de maneira voluntária.  

A dor de não saber o que se passa atingiu a família da adolescente Andreza Alves do Nascimento Marinho, de 16 anos, que desapareceu no último dia 21 no município de Tibau do Sul, no litoral Sul potiguar. “Estamos fazendo um apelo para que nos ajudem. Andreza é uma pessoa boa, transparente, nunca brigou com ninguém. Dói demais não saber como ela está. Somos sete irmãos e temos uma mãe debilitada que está desesperada”, relatou Carla Marinho, irmã da jovem.  

Segundo Carla, Andreza havia começado a trabalhar em uma lavanderia em Pipa há pouco mais de um mês. No sábado passado, ela saiu do estabelecimento às 17h, pegou um micro-ônibus e foi até Cabeceira, distrito onde mora. Lá, passou na casa de uma colega para buscar um documento. Em seguida, por volta das 18h, saiu caminhando em direção à própria casa, mas desapareceu no percurso de cerca de 15 minutos.  

O Boletim de Ocorrência foi registrado na delegacia do município logo no domingo 22. Andreza tem uma filha de 1 ano e 7 meses e mora com o marido. “Parte o coração ver a criança chorando pedindo a mãe. Pedimos que as polícias da região se reúnam para ajudar no caso, nas buscas. Qualquer pessoa que tenha alguma informação importante pode procurar a polícia também”, indicou Carla.  

As investigações estão sendo feitas pela Polícia Civil de Tibau do Sul, comandadas pelo delegado Everaldo Fonseca. Ele informou ao Agora RN, através da assessoria de comunicação da corporação, que já foram realizadas diligências na cidade. As pessoas que tiveram contato com Andreza no dia do desaparecimento também foram ouvidas, além do marido. A polícia afirmou que verificou os locais por onde a jovem passou e recolheu imagens de câmeras de segurança.  

Denúncia 
O coletivo União das Mulheres está arrecadando doações para a filha de Andreza, que podem ser entregues no Café Lagoa, em Tibau do Sul, ou através do Instagram @uniaodasmulheres.tbs. À reportagem, a equipe do movimento denunciou a falta de atendimento policial na região. Recentemente, uma mulher – que preferiu não ser identificada – teve a casa invadida e sofreu uma tentativa de estupro. Ligou para a Polícia Militar, mas não foi atendida. Ela só conseguiu registrar Boletim de Ocorrência na delegacia dois dias após a situação. Segundo o coletivo, não há atendimento especializado para as mulheres vítimas de violência.  

Núcleo de Investigação 
Em julho deste ano, a Polícia Civil instituiu o Núcleo de Investigação Sobre Pessoas Desaparecidas (NIPD), da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), para realizar procedimentos com o objetivo de investigar o desaparecimento de pessoas, além de executar ou difundir pedidos de localização de pessoas desaparecidas. A divisão é responsável apenas pelas notificações em Natal e Região Metropolitana. Dentre as funções que estão a cargo do núcleo estão: coordenar a distribuição das investigações de desaparecimentos de pessoas na Grande Natal e solicitar informações às diretorias que atuam diretamente com a atividade para consolidar um banco de dados, com o objetivo de mantê-lo sempre atualizado.  

Como agir em caso de desaparecimento 
Não é necessário esperar 24 ou 48 horas para registrar o desaparecimento de alguém. Se acreditar que a pessoa pode estar desaparecida, procure imediatamente a Polícia Civil. Quanto antes for comunicado, maiores as chances de a pessoa ser encontrada; 

Não omita informações da polícia durante o registro. Leve uma fotografia atual do desaparecido;  

Entre em contato com familiares, mesmo que residam em outras localidades, pois os desaparecidos podem se refugiar em casas de amigos ou parentes; 

Entre em contato com hospitais para saber se o desaparecido sofreu algum acidente ou foi vítima de violência; 

Se a pessoa já desa­pareceu antes, pro­cure onde ela foi en­contrada das outras vezes. 

Previna-se 
Tente garantir que os idosos andem sempre com documento e que carreguem junto anotado em pa­pel nome de um familiar, endereço e telefone; 

Solicite a carteira de identidade das crian­ças o mais cedo possível. Mantenha a foto do documento.  

Fonte: Agora RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário